Loading

Module 1: Roteamento IP

Nota de Estudos
Study Reminders
Support
Text Version

Roteamento de Vetor de Sistema Autônomo & Caminho

Set your study reminders

We will email you at these times to remind you to study.
  • Monday

    -

    7am

    +

    Tuesday

    -

    7am

    +

    Wednesday

    -

    7am

    +

    Thursday

    -

    7am

    +

    Friday

    -

    7am

    +

    Saturday

    -

    7am

    +

    Sunday

    -

    7am

    +

Sistema Autônomo & Path Vector Routing
Olá, bem-vindo a este curso. Continuaremos nossa discussão sobre Redes de Computadorese Protocolos da Internet. Por isso, estamos discutindo sobre protocolos de roteamento bem como discutimossobre essas palestras. Assim, um dos principais objetivos desta rede geral é a rota de um pacotede um nó de origem um para outro no direito da internet. Então, e pode irem cima de vários roteadores direito. Por isso, há duas coisas que são importantes: uma é queo que está sendo direcionado certo, o pacote que está sendo roteado.Outro é que como esse roteamento é possível certo, como esse roteamento acontece. Então, em outro sentidose vemos, se você se lembra de que o que vimos que todo roteador ou emintermediário ou nos roteadores de internet a cada roteadores mantém uma tabela de roteamento. Então, o que elediz, que se o pacote for para este destino específico então siga esta determinada interfacedo direcionamento do roteador.Então, em outro sentido o que vemos que nossos protocolos de roteamento visa principalmente a atualizar esta tabela de roteamentoou às vezes chamada de mesa de encaminhamento. Então, se eu conseguir um pacote com isso,tal destino, então eu preciso encaminhar para essa rede particular; esse é o meu objetivo.Como estamos nos referindo à analogia, como se eu tivesse uma rede rodoviária com cruzamentos diferentes,que funciona como um encaminhador ou roteadores. Em seguida, a pessoa ou a pessoa de trânsito na travessiapode te ajudar que você diga que, se eu quiser ir para aquele destino em particular qual caminho eupreciso seguir ou qual deve ser meu próximo salto para seguir direito.Então, isto é isso é a coisa que vai fazer. Então, o que precisa fazer que todo esse roteador ou o homem de tráfegoprecisa ser atualizado ou manter uma tabela ou tabela de consulta uma tabela de encaminhamento porque, se dizer que se olha que este é o meu destino, este deve ser o direito da rede. Então,o protocolo através desta rede geral inter com ajuda na fazer esse encaminhamento ouroteamento de pacotes são protocolos de roteamento.Agora, veremos posteriormente existir um conceito de sistemas autônomos. Então isso significa,é um bom grupo de rede ou uma porção de toda a rede junto com hospedeiros e ascoisas necessárias como seus protocolos de conectividade e assim por diante. Ele constitui um sistema autônomo de sistemas autônomos. Vamos analisar aquelas coisas eesses sistemas autônomos geralmente sob um controle organizacional ou administrativo.Como o IIT Kharagpur juntamente com várias redes, roteadores, hosts, protocolos em execução,conectividade definida etc. para que possa formar um sistema autônomo.Isso significa, ele está dentro das coisas que mantém como um sistema autônomo. Assim, o networking geral interou uma internet geral é deste tipo de sistemas autônomos ou popularmenteconhecido como AS. Então, cada SP tem um número único certo para que seja identificado. Agora, vocêvê assim, alguns dos pacotes precisam ser roteados dentro do AS, alguns dos pacotes precisam ser roteados parafora do SP direito. Suponhamos, você é dito enviando alguma fonte para o destino.Então, o destino pode estar dentro desse AS apenas ou a origem e origem e o destinopodem ser diferentes AS.Então, para isso nós exigimos algo o que dizemos intra-domínio de roteamento de coisa ou interrota de domínio das coisas direito, que é localizado e que é mais globalizado certo. Por isso,conceitualmente você pode dizer que o mesmo algoritmo pode funcionar em toda a coisa absolutamentesem problema, mas há questões de escalabilidade, há questões de complexidade de tempoetc. Por isso, com base no gerenciamento de uma pequena rede é muito mais fácil do que gerenciar ainteira internet e tipo de coisas.Em segundo lugar, que a internet funciona a maioria das coisas funciona em uma base cooperante. Você podenão ter controle sobre a internet inteira funcionando como tal. Então, você não pode pode não correra coisa toda em uma superfície cercada. Então, o que vai, o que nós iniciamos da última aula, vamos continuar que olhamos para o direito de roteamento intra-domínio. Primariamente, nóshoje gostaríamos de observar o roteamento intra-domínio que possui duas categorias primárias específicas dede distância vetorial e link tipo de estado de protocolo direito.(Consulte o Tempo de deslizamento: 05:11)Então, como discutimos se observamos o protocolo de roteamento dinâmico. Então, esse é outro conceitode roteamento estático; que significa rotas estáticas conforme especificado, mas se observarmos osprotocolos de roteamento dinâmico. Então, nós temos domínio intra ou inter e o domínio do intertem duas coisas, que dois grupo de protocolos. Um é o vetor de distância, outro é link estadoprotocolo.Um um protocolo muito popular em vetor de distância é o RIP Routing Information Protocolou o no estado Link é o protocolo OSPF para o no estado de link enquanto que, no domínio intertemos um conceito de roteamento de vetor Caminho. E, um dos muito que o principal protocoloirá que predomina é o direito BGP ou Border Gateway Protocol. Então, estamaneira que nós segregamos, nós hoje ’ s talk ou hoje ’ s discussão será principalmente pairandoem torno do vetor a distância e o link do protocolo de estado do link.(Consulte o Tempo do slide: 06:19)Então, apenas para recapitular rápido. Assim, se temos um protocolo de roteamento um pode ser uma rota estática que a rota estáticautiliza definições programadas representando caminhos através da rede. Issosignifica, rotas já programadas ou já definidas ou pode ser uma rotas dinâmicas.Os algoritmos de rotas dinâmicas permitiram que o roteador descubra automaticamente e mantenha a consciênciados caminhos através da rede direita. A diferença entre esses protocolosé a forma como eles descobrem e calculam as rotas para o destino. Assim, todo mundo ’ sobjetivo é atualizar a tabela de roteamento para um roteador individual, tal que os pacotes sãoencaminhados de forma otimizada.Os diferentes protocolos de roteamento que eles diferem é principalmente que em que tipo de comodescobrem essas rotas. Como eles calculam as novas rotas etc. Por que isso éobrigatório? O, o que vemos que a internet é um fenômeno dinâmico. O pacote quehá significa rotas sendo adicionadas ou excluídas em dinamicamente direito. E em segundo lugar, isso énão sob um único controle administrativo geral direito. Então, você precisa ter atualizao vocêprecisa atualizar indivíduo ou um roteador precisa atualizar sua tabela de roteamento dinamicamente com basesobre isso como que frequência e outros objetivos estão lá.Então, para para manter uma apropriação apropriada as coisas. Novamente, embora hajapredominantemente de vetor a distância e estado de ligação no protocolo predominante. Há desculpehá três estado de link de vetor a distância como o domínio inter. E, o protocolo de vetor de caminho éo domínio inter enquanto que, há um outro protocolo chamado híbrido. Não é um novo protocolo, mas mistura deste tipo de coisas que também as pessoas usam. Mas, isso é usado principalmente emalguma espécie de um cenário proprietário ou mais regulado.(Consulte o Slide Time: 08:23).Então, veremos que o vetor a distância cada roteador no internó mantém uma distância oucusto de si mesmo para o seu vizinho. Então, ele é mais localizado como um roteador só olha para o lookou mantém e compartilha as informações sobre o, seus vizinhos junto com o custo. Issoou, às vezes, chamamos essa distância das coisas. O caminho representado pelo menor custose torna o caminho preferido para chegar ao destino certo.Então, se houver mais de um caminho para o destino o caminho de custo mínimo serátirado essas informações são mantidas em uma tabela de vetores a distância. A tabela éperiodicamente anunciada a cada vizinho e cada roteador processa este anúncio adeterminar os melhores caminhos. Então, o que acontece que todo roteador tem uma informação localizadasobre seu vizinho e o custo e ele vai para a direita publicitária. E, os vizinhoslistam e vão atualizando as coisas.Então, há um período de propaganda que é como periodicamente ele é feito, um talvez umé a cada 30 seconds minutos e assim. E, junto com isso pode haver coisa de que, se houver alguma mudançaa ela será anunciada. Com base nessa entrada e que já packet disponível parajá a tabela disponível para ele o um roteador particular atualiza a tabela de roteamento. E, emcomo é uma espécie de uma tal espécie de sussurra entra em toda a internet ou inteirinha eupara dizer sistema autônomo ou e então ele segue atualizando direito.Considerando que, no estado link cada roteador anuncie uma lista de toda rede diretamente conectada ecusto associado do link. Ou, tenta olhar para toda a rede ou para a porção da redenos sistemas autônomos. E, anuncie o que é o estado de ligação dizcerto. Isso é realizado através de troca de anúncios de estado de link ou popularmenteconhecidos como LSAs-LSA com outros roteadores na rede. Usando esses anunciantes cadaroteador cria um banco de dados detalhando a topologia da rede atual, o banco de dados de topologia emcada roteador é o mesmo.Então, em outro sentido o todo roteador anuncie o que forma o estado de rede geralou a figura está lá para o resto e ele vai em atualização e, em qualquer pontodo tempo ideal os roteadores possuem a mesma imagem da rede sob seu domínioou sob seu domínio onde na região ele está lá. Como no SP ou na área no AS,onde está lá tem a imagem toda. Com base na coisa ele calcula o como ir paraos destinos. Então, um é mais localizado apenas com o vizinho, aqui ele tem uma imagem globaldas coisas.(Consulte o Tempo do slide: 11:25)E, em caso de um vetor de caminho ele um pouco em algum lugar da literatura diz que éum tanto parecido com o vetor a distância, mas não exatamente. Mas, há uma coisa em vez disso no casono vetor caminho temos destino, distância até o destino, e o que é o caminhopara chegar aos destinos direito. Então, não é o que são as próximas redes, mas o queé o caminho no resto do para chegar ao destino.Ou mais tarde veremos que precisamos falar sobre BGP, BGP e todas essas coisas então vocêverá que o it diz que o tal que o conjunto ordenado de sistemas autônomos que o roteadorprecisa passar para atingir aquele destino específico, se for um roteamento de domínio inter.E finalmente, o protocolo híbrido esta tentativa de protocolo para combinar os atributos positivosde tanto o vector de distância e o estado de link. Assim, as redes que utilizam protocolo híbrido tendem a cobrirmais convergem mais rapidamente e assim etc. Mas, a maioria dos casos que tem seja temvisto que para manter esses tanto esse tipo de coisas que você exige mais eudeveria dizer hardware ou suporte de recursos.E, na maioria dos casos se você tiver um ambiente mais controlado ou o que dizemosambiente proprietário que é este pode ser muito útil. Mas, mas em número de casos nóstemos esse tipo de coisas. Então, isso pode ser seguido. Então, esses protocolos potencialmentereduzem o custo de atualizações de estado de link e propaganda de vetores a distância e tentam ter um caminho otimizado deao longo das coisas.(Consulte o Slide Time: 13:11)..Agora, portanto, se temos um é tipicamente um cenário como este onde há diferentes redesconectadas por diferentes roteadores A B C D assim..E então, se observamos o vetor a distância o que temos discutido então, A diz queperiodicamente diz o conhecimento sobre o sobre a rede toda para B E F. Então,o que tiver em ter o conhecimento seu envio é para B E F ao seu vizinho. Da mesma forma, emcaso de B envie periodicamente meus conhecimentos sobre toda a rede para A e C.Então, qualquer que seja ele está tendo o conhecimento sobre toda a rede que ele compartilha com seu vizinho. Então, uma espécie de um sussurro com seu vizinho direito. Ele continua fazendo isso ea fim de fazer que ele tente convergir direito.(Consulte o Slide Time: 14:05).Observe outro exemplo como em um vetor de distância cada nó compartilha sua tabela de roteamento; quesignifica, o conhecimento sobre a rede com seus em vizinhos imediatos periodicamentee quando há uma mudança. Então, ou seja, será um periodicamente; isso significa, a cada digamosperíodo de tempo t e quando houver uma mudança. Portanto, se houver uma mudança, então ela também trocaa coisa, como A B C D etcetera.Então, A tem o conhecimento que de A a A o custo é 0, A a B é 5, A a C é 2, A isto éa primeira tabela é a direita da tabela A ’, A a D é 3 e A a E é 6. Agora, A para E é 6 via C. Então,a próxima parada é C. Este branco significa que a próxima parada é o imediato em si ou em seu vizinho imediato. Similarmente, se você ver o custo de D você pode deduzir que A diretamente paraA como 3, mas para B ela tem que ir via A.Mas, para tanto, ela próxima parada é A então B, mas poderia ter sido A C B também baseada no custeio. Como a partir de C ele tem que ir via A e depois C, similarmente para E tem que ir A entãoC então A. Então, A a D a A é 3, mas para ir a A a E é via C é 6. Assim, o custeio geral é9.(Consulte o Tempo do slide: 15:51)Então, inicialmente assim, se olarmos inicialmente, o que está acontecendo? Inicialmente, se você olhar para A para Aela o que é ver que para si mesmo é 0 A ’ s table, para B é 5 porque, isso está diretamente conectado. Para Cé 2, para B é 3 e para E é infinito, pois ele sabe não possui nenhuma informação sobre Eque não está diretamente conectada.Então, esta quando o roteador diz tempo t igual a 0, ele tem essas são as instâncias. Da mesma forma, paraB é assim, para B é algo assim, C para C é algo assim, D é apenas ele éconectado a A. Então, D sabe que para atingir a si mesmo é 0, chegando a A é 3, ele é diretamenteconectado. Mas, no entanto, ir a qualquer outra rede ou qualquer outro roteador é o infinito.
Sistema Autônomo & Path Vector Routing-Parte 2
Agora, quando anunciamos dizemos que olhamos para a tabela A da tabela A ’. Então, A recebe Uma instância tambémC de C o que ela é recebe, ela para que C para ir a A é 2 B 4 C 0 D infinito E 4 porque, elanão tem nenhum conhecimento sobre o D inicialmente certo. Assim, um recebe informaçõesde C, similarmente recebe informações de B também direito em informações periódica certo.Agora, ao receber digamos que consideremos apenas um que C, posteriormente ele virá mesmo tipode atividade irá para o que ele este é de B. Agora, ao recebê-lo compara-se que assim, em parase for via C atingindo A será 4. Isso significa, diz que A a C é 2, C a A é 2 certo4, mas onde quer que tenha uma coisa de hospedagem melhor como A a A é 0 está tendo. Então, ele atualiza éA 0 sem hop. Veja no intuito de chegar B C diz que tem uma coisa chamada 4.Então, o que ele diz é que para atingir A a C é 2 e C a B é 4. Então, em ordem viaC se for vai, chegar B é 6. Tem uma vantagem melhor por aqui chegar B é 6, elemantém em 5 direito. Da mesma forma, indo para C via C tem 2 e agora aqui também 2 então, mantémaquilo. Para D, C não não tem nenhuma informação porque C não está tendo nenhuma informação. Então, mas um já ter que chegar C é o que sustenta isso. Para E, Cdiz que via C que é um lá é pode ir por 6 enquanto, A tabela inicial de A ’ diz que era oinfinito. Então, ele atualiza como a coisa.Então, o C é assim, a tabela A ’ s, Uma tabela de roteamento ’ após receber as informações do C ittorna-se assim como este direito. Agora, similarmente vai receber as informações de B também. Então,que a tabela atualizada pode ser comparada com o B, pode ser antes ou depois. Não obstante,o que você o que nós vemos ele finalmente converge para as coisas. Mas, se for muito dinâmico ou emalguns casos típicos pode haver situações em que você pode acabar em, o que dizemos nondesejável estados direito que você não quer estar lá certo.Então, o que eu encorajo aqueles que estão aprendendo essa coisa em pela primeira vez ou não muitomuito acostumado com essa tentativa de descobrir essas tabelas você mesmo certo. Qual será a tabela atualizadapara B a partir do inicialmente ou E e como ela vai para a direita. É fácil se você fizer issonós também tentei que todas as referências junto com as coisas você possa consultar esses livros etipo de coisas.(Consulte o Tempo do slide: 20:15)Agora, pode haver algum problema certo. Como nos deixar ver que há um é um problema de instabilidade de dois nósdireita. Por que, o que está acontecendo? Agora, veja se esta é a parte da rede ouda rede direita, consideremos que esta é a nossa consideração em rede. Então,A para uma tabela que atinge X foi de 2 e ela está diretamente conectada bem. Atingir B para B emestável atingindo X era 6 e é via A e, no entanto, são outras as coisas estão lá. Então,dot dot dot que significa, ele tem outras informações que temos apenas, estamos considerando apenasestes três nós.Agora, após falha que significa, há uma falha de link entre A e X. Então, o que uma atualizaque atingir X via A é o infinito certo. Então, não há conexão. No entanto, ainda há umB ainda não dá para obter a atualização da coisa certa. Então, se ela A recebe uma atualização doB durante esse tempo. Então, o que ele faz? Ele vê que apesar de não haver um caminho para 2 X diretamente,mas há um ele parece que há um caminho de A até via B. Então, ele atualiza assim, A a B é 4 eB em virtude destes diz que para atingir X é ainda ter aquele direito de entrada de 6.Então, o que ele faz? Ele vai em X para ele diz que você pode alcançar X via B por 4 mais 6 10direito. E, apesar de apenas olhar para os três nós pode ser pouco, você pode ser poucoconfundido que por que o que é o grande problema. Mas, se você olhar toda a situação de internetworkingou uma grande rede assim, isso pode muito acontecer com base do que quando você estárecebendo este beaconing ou as mensagens etcetera.Agora, posteriormente uma B atualiza através de A e descobre que ela é 10 mais 4, 14 e continua.Então, long eles não terminam em uma infinidade; isso significa, non reachability finalmente, ele vai emas coisas. Então, esses vão em uma instabilidade de nível de dois nós. Então, esta é uma situação típicaque pode surgir nesse tipo de cenários.(Consulte o Tempo do slide: 22:45).Pode haver uma opção de um problema do que dizemos três instabilidade de nó direito. Então, lásão três nós do nó A B C, A é a mesma coisa A está conectada a X via com um link de 2. Depois o quevemos depois de A envia a rota para B e C, mas o pacote para C está perdido certo. Então, o que éde que há uma falha aqui fora, A chega ao infinito e A atualiza a coisa. Por isso, B também ficao infinito, mas de alguma forma o pacote a C está perdido você sabe.Então, C its ainda mantém esse X 5 A certo. Então, e baseado nisso na próxima rodada recebendo o anúnciodo C, o outro tenta se atualizar. B atualiza como 8 certo, obtendo uma atualizaçãodo B, A descobre que há um caminho para X via B direito com um 8 mais 4 12 e ele vai emaumentando assim mesmo.Então, esse é outro problema de três níveis de instabilidade de nível de nó. Então, há questões queprecisam ser abordadas quando olhamos para o tal tipo de estado de link de cenários. Desculpe,esse tipo de vetor de distância de cenário. Então, são o que estamos discutindo sobre a distânciao roteamento de vetores, onde ele sussurra para os vizinhos.(Consulte o Slide Time: 24:25)Agora, um outro protocolo de roteamento onde se leva o qual mantém o inter primeiro de todo o protocolo de roteamento de domínio intra, que mantém a faixa do que mantém a faixa ou qualmantém o estado de toda a rede é link de roteamento do estado. Então, a filosofia básica éum estado de link é uma descrição de uma interface de um roteador; isso significa, endereço IP pode sermáscara de sub-rede, tipo de rede e assim por diante e etc. e é conectividade com os roteadoresvizinhos. Ou em outro sentido I so, podemos observar que ele mantém um gráfico de rede em um sentidocerto.A coleção desses estados de links de links formam um banco de dados de estado de link. Os algoritmos de roteirizaçãousam este princípio de estado de link para determinar a topologia da rede. Por isso, em outro sentido otodo roteador mantém a noção da topologia de toda a rede direita. Assim, link statese aproxima para determinar topologia de rede, se observamos; cada roteador identifica todos os dispositivosna rede diretamente conectada certo que é fácil.Então, qualquer que seja o ele está diretamente conectado. O Easy Router divulga uma lista de links de rede conectados diretamentee são links de custos associados; através de uma troca de anúncios de estado de linkou LSAs direito com outro direito de rede. Então, ele tem um cada roteador aconselhadoo LSAs. Por que neste anúncio cada roteador cria um banco de dados detalhando a topologia atual da rede. Então, ao olhar para este anúncio ou receber isso ou usar este anúncio, ele faz a topologia da rede.A topologia da rede em cada roteador é tipicamente ou idealmente deve ser mesmo certo, cada roteadordeve ser mesmo. Cada roteador utiliza as informações no banco de dados de topologia paracomputar as rotas mais desejáveis para cada destino. Então, em outro sentido ele vai empublicando esses link afirma que qualquer que seja a informação de conectividade está lá. Assim, cada roteadordá a informação e faz a topologia da rede própria.E, eles usando este banco de dados, link banco de dados de estado ou a topologia ele constitui ou ele encontrafora que qual é o caminho ideal ou rota ideal para a rede de destino certo. E,essas informações são usadas para atualizar a tabela de roteamento finalmente, ele atualiza a tabela de roteamentoe ele vai nessa, se este for o destino esta é a rota e esta é a interface para serusada do roteador. Então, essa é a atualização da tabela de roteamento porque, quando o pacote vem elefica armazenado e encaminhado com base na tabela de roteamento.(Consulte o Slide Time: 27:33)Então, da mesma forma se observarmos esse mesmo tipo de rede. Por isso, o que diz que eu envioinformações sobre meus vizinhos a cada roteador. Eu envio informações sobre os meus vizinhosserviço so, todo mundo envia informações e outras coisas e cada nós individuais queo roteador constituem isso. Ou atualize seu banco de dados de estado de link e realize a topologia da redee encontre o melhor caminho com base nessa topologia.(Consulte o Tempo do slide: 28:07)Então, similarmente como o que você está vendo as coisas do estado de link. Assim, o roteador individual tem essetipo de instâncias da rede direita, em um determinado momento. E, então um eles tiram uma chamadacom base nessa topologia. Descubra o melhor caminho possível e atualize esta tabela de roteamentoque é usada pelo encaminhamento de pacotes.(Consulte o Tempo do slide: 28:35)Então, mesma coisa link estado do conhecimento como estados dos links que como essa conectividade etipo de coisas estão lá. Estes são os diferentes conhecimentos de estado de link dos roteadores individuais.(Consulte o Tempo do slide: 28:51)E, então ele pode usar algum tipo de algoritmo spot, o algoritmo popular como algoritmo extrapode ser usado. Então, como o isso já sabemos que como esse algoritmo foi.Agora, uma vez para que esse algoritmo funcione e descubra o caminho ideal ou o caminho demais curto, precisamos ter toda a instância da rede. Então, disse rota para o nó locale mova-o para as coisas tentativas.E, este é o, e se temos a lista de tentos está vazio então pare. Então, longo então como énão vazio, ele vai para iterate como este; como entre o nó na lista de tentos move oque é o caminho mais curto para a lista permanente. Inclua cada nó não processado no nó de última movimentaçãoem lista tentativa, se não já estiver presente. Se o vizinho estiver na lista tentativacom na lista de tentos significa maior custo acumulativo, substitua por nova direita.(Consulte o Tempo de Slides: 29:55)Então, esta é a maneira padrão de olhar para ele e se construirmos aquela árvore de caminho mais curta pordigamos. Então, a árvore vai ficar parecida com essa de uma direita. Inicialmente, a topologia é assim, inicialmente odiz a rota para A e move-se para lista tentativa; move A para listar permanentemente e adicionar C estes.Então, se mover C para a lista permanente porque, ele é o menor caminho do A e tão eassim por diante.E, finalmente, acabamos na posição 6, onde nosso tentante sua lista está vazio e como oalgo diz parar. Então, ele descobre o 3 geral e este pode ser usado para atualizar a tabela de roteamentoou o serviço encaminhando os pacotes para o próximo destino ou melhor do próximohop para chegar ao destino.(Consulte o Tempo do slide: 30:51)Então, ao fazer isso, se vemos a tabela de roteamento de uma tabela de roteamento de A ’. Então, nenhum nó de atingo A échamado 0, B é 5, C é 2, D é 3 e E é 6 via C direito. Então, esta é a tabela que está sendoconstruída a partir do, a partir do uso dessas informações. E esta tabela atualizada pode serusada para encaminhamento dos pacotes.(Consulte o Tempo do slide: 31:23)Então, se tentarmos resumir esses estados de link. Então, compartilhe conhecimento sobre o vizinhobairro, compartilhe com cada outro roteador, compartilhe compartilhamento quando houver uma mudança direitinho.Então, uma das populares etapa de link do protocolo de roteamento é o OSPF: Open Shortest PathPrimeiro, que usa está em protocolo de estado para atualizar tabela. E, OSPF se você ver que é um em umveremos mais adiante. É o protocolo popular ou protocolo de roteamento de domínio inter, que éusado em como para roteamento intra-domínio no no dentro do SP ou um com nas áreas no direito AS.Então, este segue o roteamento do estado do link. Então, o que nós já vimos que a maneira ampla de comoesse vetor de distância e link estado funciona. E, o protocolo popular para a sua distânciavetor é RIP e enquanto que, este em caso de um estado de ligação ele é OSPF. Por isso, com isso deixe-nosconcluir nossa palestra. Vamos continuar nossa discussão com este intra domínio esubsequentemente domínio inter em (Consulte o Tempo: 32:45) palestras subsequentes deste curso particular.Obrigado.