Loading

Module 1: Ecologia Humana e Ecologia da Mudança

Nota de Estudos
Study Reminders
Support
Text Version

Crescimento Populacional Humano e Requisitos alimentares

Set your study reminders

We will email you at these times to remind you to study.
  • Monday

    -

    7am

    +

    Tuesday

    -

    7am

    +

    Wednesday

    -

    7am

    +

    Thursday

    -

    7am

    +

    Friday

    -

    7am

    +

    Saturday

    -

    7am

    +

    Sunday

    -

    7am

    +

Hoje avançamos com a nossa discussão sobre a Ecologia Humana e nesta palestra analisaremos o crescimento da população humana e os requisitos alimentares, especialmente a teoria de Thomas Robert Malthus.
(Consulte O Tempo De Deslizamento: 00:23)

Já tínhamos visto Thomas Malthus em nosso primeiro módulo na palestra sobre a história da ecologia.
Foi um clérigo e estudioso inglês que viveu entre 13 de fevereiro de 1766 e 23 de dezembro de 1834. E em 1798 escreveu um livro "An Essay on the Principle of Population" e este livro teve um impacto muito profundo no estudo da ecologia populacional. O que ele escreveu neste livro?

(Consulte O Tempo De Deslizamento: 01:03)

Basicamente os tenets de modelos de crescimento malthusiano são estes. O primeiro ponto é que a população cresce em progressão geométrica aproximadamente dobrando a cada 25 anos. Agora estes 25 anos é um prazo que ele observou desde os seus tempos particulares, mas depois mais tarde veremos que estes 25 anos não mais se mantém válidos.
Mas, mais ou menos o que ele disse foi que a população cresce em progressão geométrica. Então, se você já diz 1 milhões de pessoas em algum lugar então, de 1 milhões em 25 anos que se tornarão 2 milhões, então nos próximos 25 anos ela passará a ser de 4 milhões então 8 milhões e depois 16 milhões e 32 milhões e assim por diante. Então, se vemos que este é de 25, 50, 75, 100, 125; assim em 125 anos passou de 1 para 32.
No entanto, se olarmos para o abastecimento alimentar eles não aumentam em progressão geométrica, mas aumentam em progressão aritmética. Por isso, neste período; em 125 anos, passará de 1 para 2, 2 para 3, 3 para 4, 5 e 6. Então, suponhamos no início, nós tínhamos 1 milhões de pessoas e digamos 1 milhões de kg de cereais assim, ao final de 125 anos estaremos tendo 32 milhões de pessoas e apenas 6 milhões de kgs de, toneladas de cereal. Por isso, essencialmente diz que, a população tende a ultrapassar a oferta de alimentos.
Suponhamos, você tenta aumentar a produção de alimentos por algum ponto específico do tempo então, nesse período porque a população é dependente da alimentação. Então, a população vai aumentar muito rápido e mesmo que você comece com uma quantidade maior de alimentos, em pouco tempo a população vai ultrapassar o suprimento de alimentos. Então, isso cria um desequilíbrio então, você tem mais número de pessoas e menos número de recursos.
Se você se lembra das nossas conversas sobre o darwinismo, isso também dizia uma coisa muito parecida que todo organismo tende a sobrepor-se a produzir, mas então os recursos são limitados e assim, há uma luta pela existência. Agora, na luta pela existência, há alguns organismos que morrem fora.
(Consulte O Tempo De Deslizamento: 03:33)

Quando você tem excesso de população; então, suponhamos que você tenha 10000 indivíduos de qualquer espécie em particular, digamos que estamos considerando uma população de Chital. Agora você tem 1000 indivíduos, mas a capacidade de porte é de dizer 700 indivíduos. Neste caso, 300 indivíduos morrerão de folga, por que morreriam? Porque você tem quantidade limitada de recursos, mais número de indivíduos, todo mundo está lutando e por isso nesse caso haveria alguns indivíduos que serão dominantes e alguns indivíduos que não serão tão dominantes ou um pouco recessivos.
O indivíduo dominante é capaz de obter mais quantidade de alimentos porque é capaz de afastar todo mundo. Por exemplo, coisas das quais falamos no caso da competição intraespecífica, então, haverá concorrência e haverá alguns indivíduos em qualquer população que poderão expulsar os demais indivíduos. Quando você tem essa condução fora de outros indivíduos, por isso haverá alguns indivíduos nessa população precisamente 300 indivíduos que não têm acesso a quantidades suficientes de alimentos; por isso sofrerão de desnutrição, talvez sofram de algumas doenças e lentamente e de forma constante morrerão descontrados. Em última análise, chegaremos a uma situação em que você tem apenas 700 indivíduos deixados o que é igual à capacidade de porte. Agora, estes são os tenetos do darwinismo.
Aqui, o que estamos a falar é de uma competição intra-específica. No caso de Malthus, o que ele diz é que aqui também você tem uma população que cresce muito rápido, você tem um suprimento alimentar que está crescendo não tão rápido, agora neste caso o suprimento de alimentos podemos correlacioná-lo com a capacidade de carga do ambiente. No caso do darwinismo a capacidade de carga era mais ou menos fixa, mas neste caso Malthus viu que o abastecimento de alimentos está aumentando; por isso, declarou que vai aumentando em uma progressão aritmética. Mas aqui está bem você terá uma situação em que a população tende a ultrapassar o suprimento de alimentos e quando isso acontecer então a natureza traria algum tipo de fiscalização e balancetes.
Malthus também disse que esse desequilíbrio é corrigido por cheques positivos. Então, esses feitos de pessoas ele é chamado de cheques positivos. E disse que esses cheques positivos são o vício, a miséria, a fome, a guerra, a doença, a peste, as inundações e outras calamidades naturais. Ele disse que, em sua teoria, não estamos falando de competição intraespecífica e de algumas pessoas que são capazes de expulsar os outros, mas então ele diz que a maneira da natureza de resolver essa questão é trazer alguns cheques positivos.
Você terá alguma fome ou talvez você tenha algumas enchentes ou terá algumas doenças que vão acabar com uma grande parcela da população. E uma vez que isso acontece a população que se reduz a um nível que são seres que podem ser sustentados pelo nível de produtividade agrícola. Mas depois Malthus disse que esses cheques positivos não são uma boa forma de verificar a população porque aqui estamos falando de seres humanos e não queremos ter uma situação de enchentes ou de famílias ou de doenças ou pestilência.
Depois ele disse que como seres humanos, temos essa outra opção de que podemos corrigir esse desequilíbrio, o desequilíbrio entre o número de pessoas e a oferta de alimentos utilizando os cheques preventivos. Agora, as fiscalizações preventivas são previdência, casamento tardio, celibato, contenção moral e etc. Essencialmente, ele disse que mesmo que no plano da natureza seja que vamos aumentar nossa população em uma progressão geométrica, mas depois nós como seres humanos podemos usar nossa previdência ou pode haver alguns indivíduos que podem deixar de produzir descendentes produzindo. Então, eles não estão produzindo nenhuma ofensas, eles estão vivendo uma vida celibatante ou poderia haver pessoas optariam por um casamento tardio.

Então, se você tem um casamento atrasado, nesse caso a taxa de crescimento da população virá abaixo porque no lugar de ter população que está dobrando a cada 25 anos talvez você tenha uma população que está dobrando a cada digamos 30 anos. Então, ele disse que o casamento tardio também é uma forma em que podemos usar uma verificação preventiva e coisas como a contenção moral e assim por diante.
Então, este é em suma, o modo de crescimento malthusiano. A população aumenta em uma progressão geométrica, a alimentação aumenta em uma progressão aritmética. Isso leva a um desequilíbrio e há fiscalizações positivas e há fiscalizações preventivas. Então, este é em suma o modelo malthusiano.
(Consulte O Tempo De Deslizamento: 08:49)

Se olarmos para a taxa de crescimento da população mundial, então, podemos dizer que, sim, ela aumenta exponencialmente, portanto, há alguma quantidade dessa coisa de progressão geométrica que está funcionando.
Então, a população está aumentando a uma taxa muito rápida.

(Consulte O Tempo De Deslizamento: 09:06)

Agora, se colocarmos a teoria malthusiana em termos de matemática, podemos dizer que, se P (t) denota a população em um momento t, Então, a taxa de aumento da população é denotada como

dP dt = kP onde k é uma constante e P é a população.
(Consulte O Tempo De Deslizamento: 09:50)

Essencialmente o que esta coisa está dizendo é que, você tem uma população que está aumentando agora; a taxa de aumento da população será proporcional à população que está presente naquele determinado ponto do tempo.
Então, essencialmente se você tem uma situação em que você tem 1 milhões de pessoas, então, nesse caso você terá muitos nascimentos mais em comparação com uma situação em que você só tem 100.000 pessoas; portanto, neste caso você tem menos número de nascimentos. Porque no caso de uma população menor, você tem um número menor de fêmeas que estão grávidas em um momento importante ou estão produzindo as offsprings, porque as fêmeas de qualquer população que são muito jovens ou que um muito velho não vai estar produzindo as offsprings, só essas fêmeas que estão na idade reprodutiva vão produzir a população ou vão produzir as offsprings. Nesse caso, podemos dizer que a mudança na população com relação ao tempo é proporcional à população P. dP dt
Cúpula P dP dt
= k P, onde k é uma constante.
Integrando a equação acima, P (t) = Po e k t, onde Po denota população no tempo t0.

Então, aqui estamos dizendo que a população a qualquer momento t é igual a algum valor constante que é a população no ponto de tempo 0 multiplicada por e para o poder k em t onde k é essa constante que nós tínhamos derivado aqui e t é o período de tempo. Então, isso diria que nós temos uma população que está aumentando exponencialmente.

(Consulte O Tempo De Deslizamento: 11:34)

E a partir daqui podemos definir esse termo chamado como o tempo de duplicação. Agora, dobrar o tempo ou td é definido como o tempo necessário para dobrar o tamanho da população. Então, suponhamos que tenhamos começado com 1 milhões de pessoas, então, quanto tempo leva para que a população aumente de 1 milhões para 2 milhões ou de 2 milhões para 4 milhões ou de 4 milhões para 8 milhões, esse tempo t d é chamado de tempo de duplicação. Então, aqui podemos dizer que no tempo td temos a população no tempo td é duas vezes a população original ou a população no ponto 0.
(Consulte O Tempo De Deslizamento: 12:18)

Então, sabemos que a população a qualquer momento t é dada pela equação P (t) = Po e k e estamos dizendo que a população na hora td é igual a duas vezes a população original, que é representada como P (td) = 2P0 A população a qualquer instante t é dada pela equação P (t) = Po e k ........................................ (1) A população na hora td é representada como P (td) = 2P0 ............................................................ (2) Recolocando t como td na equação (1), 2P0 = Po e k t d 2 = e k t d Tomando logaritmo natural em ambos os lados, ln 2 = ln e k t d ln 2 = k td Rearranjo da equação, td = 1 k Em 2, onde td é uma constante e k também é uma constante e k é também uma constante assim, podemos dizer que td é constante ou essencialmente quando você está tendo um período de tempo fixo td que é conhecido como o tempo de duplicação em que você verá que a população é aumentando em uma progressão geométrica então, isto é o que Malthus disse.
Então, essencialmente esta é uma fórmula que podemos lembrar td = 1 k ln 2, mas então, é esta teoria

correto? Será que é isso que realmente vemos por aí na natureza?
Acontece que, se tem uma população que está a aumentar exponencialmente e tem o abastecimento alimentar que está a aumentar de forma aritmética, então deveríamos ter tido várias situações de fome, várias cheias, várias pestilências, mas depois não estamos a ver todas estas hoje que nos remetem às críticas a este modelo. Então, há algumas coisas neste modelo que não estão bem corretas.

Então, a primeira crítica é que o crescimento populacional não é tão sugerido. O crescimento populacional não é completamente exponencial. Em nossos resultados tínhamos visto que esse termo td é uma constante que Malthus dizia que seriam 25 anos.
(Consulte O Tempo De Deslizamento: 14:47)

Mas então, se olarmos para o tempo real de duplicação, então, neste eixo x temos os anos, no eixo y temos o número de anos que é preciso para dobrar a população. Então, se olvidarmos este ponto 1543 então, foram demorados 697 anos para que a população mundial dobrar de 0,25 bilhões em 637 para 0,5 bilhões em 1543.
Então, levou até 697 anos ou perto de 700 anos para passar de 0,25 bilhões para 0,5 bilhões. E se olarmos um ponto de tempo mais tarde sobre isso, se olarmos para este ano de 1928; em 1928, a população mundial chegara a 2 bilhões e ela havia levado apenas 125 anos para passar de 1 bilhões para 2 bilhões. Então, o t d não é constante, pode variar de tanto quanto dizer em torno de 700 anos para até 37 anos. Então, se você olhar para este ponto então, em 1987 população mundial era de 5 bilhões de dólares e ela tinha levado apenas 37 anos para passar de 2,5 bilhões para 5 bilhões. O que estamos a dizer aqui é que apesar de o modelo malthusiano dizer que o seu t d é uma constante, mas depois na atualidade estamos a dizer que t d não é uma constante.

(Consulte O Tempo De Deslizamento: 16:35)

Não podemos dizer que a população está realmente crescendo exponencialmente, apesar de parecer um crescimento exponencial. Porque quando estamos tramando a população contra o tempo; parece que estamos aumentando a população assim, mas então se olarmos para as intrincas que encontramos que t d não é uma constante aqui.
(Consulte O Tempo De Deslizamento: 16:51)

E acontece que, na verdade, a população cresce por essa transição demográfica.
O que queremos dizer com uma transição demográfica?

(Consulte O Tempo De Deslizamento: 17:05)

Considere uma sociedade; no primeiro caso, você tem uma sociedade, essa é uma sociedade primitiva e nessa sociedade primitiva você tem uma alta taxa de natalidade e uma alta taxa de mortalidade. Agora, você tem uma alta taxa de natalidade, pois não há métodos de contracepção que estejam disponíveis e porque as pessoas estão se reproduzindo o máximo possível. Então, isso porque nessa sociedade você tem uma taxa de mortalidade mais alta. Por isso, todo pai quer que pelo menos algumas delas sejam as offsprings são capazes de sobreviver a ela é de maturidade própria.
Lembre-se de que estamos novamente falando de fitness. Agora a fitness é a situação em que você é capaz de produzir sua prole e suas offsprings são tais que elas também são capazes de produzir suas próprias offsprings. Agora essa sociedade primitiva tem uma alta taxa de mortalidade. Agora, por que tem uma alta taxa de mortalidade? Porque você não tem medicina moderna que está disponível.
Se existe alguma doença transmissível, se você tem alguma infecção, existe uma possibilidade muito grande de que você possa morrer. Além disso, o saneamento básico não está lá assim, as pessoas sofrem de doenças como cólera, você não tem boas casas, então você pode ter enormes quantidades de dizem praga ou doenças que surgem quando você não está vivendo em um ambiente sanitário e assim por diante.
Então, há uma enorme taxa de mortalidade. Você não tem acesso suficiente aos alimentos, há desnutrição generalizada, até mesmo suas teorias de nutrição não foram desenvolvidas. Então, você não sabe se alguém está recebendo, digamos, escorbuto ou alguém está ficando beri-beri. Então, você não sabe por que eles estão recebendo essas doenças ou que você pode prevenir o escorbuto dando alguma quantidade de cal ou alguma quantidade de frutas cítricas. Então, você não tem todas essas informações e na ausência de todas essas informações você tem uma taxa de mortalidade muito alta.
Se você tem uma taxa de mortalidade elevada a sociedade remunera por ter uma alta taxa de natalidade. Então, por exemplo, se você sabe que de cada 6 crianças 5 crianças vão morrer em sua infância por isso, você tem dizer uma taxa de mortalidade infantil de 5 em 6. Por isso, se você ... como pais, se você quer ter pelo menos uma progenia que vive a sua maturidade; assim, você gostaria de ter pelo menos dizer 6 crianças porque sabe que 5 em cada 6 vão morrer de qualquer maneira. Então, uma alta taxa de mortalidade leva a uma alta taxa de natalidade.
Nestas sociedades com uma taxa de natalidade muito elevada e uma taxa de mortalidade muito elevada, tanto a elevada taxa de natalidade como a elevada taxa de mortalidade anulam-se umas às outras. Então, a taxa de crescimento populacional é muito menor, porque o número de indivíduos que nascem para essa sociedade um número deles morre. Então, esta é a primeira etapa da transição em que você tem uma alta taxa de natalidade e uma alta taxa de mortalidade.
A segunda etapa em transição demográfica é onde você está reduzindo as taxas de mortalidade. Então, você se deslocou de uma alta taxa de mortalidade para uma baixa taxa de mortalidade. Agora, como é que você é capaz de reduzir a taxa de mortalidade? Ao fornecer mais quantidade de nutrição, ao fornecer instalações médicas modernas, por ter mais quantidade de informações sobre o que alguém deve comer, como prevenir doenças, como tratar doenças, se elas estão lá.
Nesse nível da sociedade, você tem agora uma baixa taxa de mortalidade. Mas então uma baixa taxa de mortalidade não se transparece automaticamente em uma baixa taxa de natalidade. Por quê? Como os pais que estavam na geração anterior produzindo dizem 6 offsprings, não vão se deslocar de dizer 6 ofícios para uma prole em um instante. Então, você tem a sociedade em que tem uma baixa taxa de mortalidade por causa das instalações médicas e por causa dos avanços da ciência e da tecnologia, mas ainda tem uma alta taxa de natalidade.
Se essa é a situação, você tem uma baixa taxa de mortalidade e uma alta taxa de natalidade então, nesse caso você tem uma série de indivíduos que nasceram nessa população, mas porque a taxa de mortalidade é baixa então, um número deles também é capaz de sobreviver e se reproduzir mais adiante.
Quando isso acontece, você vê o caso clássico de uma taxa exponencial de aumento populacional.
Então, isso é população versus tempo e você tem indivíduos que estão sendo adicionados nessa população de novo e de novo e quanto mais número de indivíduos que você tem nessa população o número mais de offsprings que são produzidos. Então, esse ciclo se sustenta e a população se bota, essa é a segunda etapa.
A terceira etapa dessa transição demográfica é quando se tem uma quantidade muito grande de população. Então, agora a sociedade tenta reduzir a taxa de natalidade também.
(Consulte O Tempo De Deslizamento: 22:17)

Neste caso você tem uma taxa de mortalidade baixa e se desloca de uma alta taxa de natalidade para uma baixa taxa de natalidade. Agora, como você pode ter uma taxa de natalidade baixa? Por dizer que ter mais acesso a contraceptivos ou dizer por ter uma idade aumentada em que as pessoas querem ter offsprings ou talvez nesta sociedade, agora as pessoas simplesmente não querem ter nenhuma ofensas ou só querem ter apenas uma folga. Por isso, no lugar de ter uma norma de dizer 6 ou 7 bebês, agora a norma é deslocada para apenas 1 bebê.
Neste caso você tem uma taxa de mortalidade baixa e uma baixa taxa de natalidade. Então, novamente a taxa de natalidade e a taxa de mortalidade são capazes de se rebater. Então, o aumento líquido da população será muito pequeno. Então, a população está agora estabilizada. Então, no lugar de ter sua população que estava aumentando assim, agora você tem uma população que agora está caminhando para a estabilidade. Então, neste caso a população se tornará estável em um período de tempo muito curto; porque agora, novamente você tem uma baixa taxa de natalidade que está sendo compensada por uma baixa taxa de mortalidade.
A quarta fase na transição pode ser de um estágio em que você continua a ter uma taxa de mortalidade baixa, mas você tem uma taxa de natalidade ainda mais baixa, então, nós tínhamos falado sobre a substituição

fertilidade de nível. Uma fertilidade de nível de substituição é uma situação em que você tem 2 pessoas na geração parental e elas são capazes de substituir-se na próxima geração. Por isso, por exemplo você tem uma mãe e um pai assim, 2 pessoas em uma geração e depois na próxima geração você também tem 2 filhos. Então, essa é a fertilidade de nível de substituição. E se você tiver 2 indivíduos e a geração parental e menos de 2 indivíduos na próxima geração.
Suponhamos, em uma média você já diz 1,7 bebês ou dizer até mesmo apenas 1 bebê. Então, nesse caso a população agora vai continuar diminuindo a si mesma. Então, no lugar de ter essa população que estava apenas se estabilizando, agora você pode ter uma situação em que a população tenha começado a diminuir. Então, isso pode ser outro modo no qual ocorre a transição demográfica.
O que observamos aqui é que você tem as taxas de natalidade e as taxas de mortalidade. Em primeira instância, você tem uma alta taxa de natalidade e uma alta taxa de mortalidade. Então, a taxa de natalidade é essa curva colorida verde e a taxa de mortalidade é essa curva colorida azul. Agora, nesta etapa, quando se tem uma alta taxa de natalidade e uma alta taxa de mortalidade, a população não aumenta, a população permanece mais ou menos constante.
Depois, na segunda fase, quando se tem uma taxa de mortalidade em queda e a taxa de natalidade manteve-se estável, portanto, neste caso a população começou a subir. Na terceira etapa, você tem uma taxa de mortalidade em queda que continua e a taxa de natalidade começou a diminuir, mas aqui novamente vemos que, estamos aumentando na população, mas então ela agora está se tornando cada vez mais estável e esse é o estágio em que eles realmente estão hoje. Agora, em pouco tempo quando chegarmos a esta fase em que a sua taxa de natalidade e as taxas de mortalidade ambas são baixas, portanto, neste caso observaremos a flatura na população total.
Essa curva amarela é a população total e então, quando você atingiu essa flatness, a quinta etapa pode ser um estágio em que sua taxa de natalidade começa a subir novamente ou talvez a taxa de natalidade se torne ainda menor do que a taxa de mortalidade e em ambos os casos você terá resultados diferentes. Então, se as taxas de natalidade aumentem então você verá um novo aumento da população ou então você começará a ver uma diminuição da população.
Esses estágios também podem ser representados em termos das pirâmides populacionais. No caso de uma pirâmide populacional, o que estamos vendo aqui. Uma pirâmide populacional se parece com isso.

(Consulte O Tempo De Deslizamento: 26:43)

Aqui você tem o número de homens na população, aqui você tem o número de mulheres na população e então essa é a idade de coortes diferentes. Digamos que no caso de uma faixa etária entre 0 5 anos, você tem um número de bebês, alguns dos quais são bebês do sexo masculino, alguns dos quais são bebês femininos.
No caso de 5 10 anos, você tem um número menor de indivíduos que estão aqui. Em seguida, reduz progressivamente, 15, 20, 25, 30 e talvez 35. Ora, esta é uma população onde estamos a dizer que se tem uma expectativa de vida de cerca de 35 anos mais se considerarmos a população que está lá na idade reprodutiva, digamos pouco mais do que dizer 18 35 anos.
Então, aqui temos menos número de indivíduos que estão lá, mas então o número de crianças que estão nascidas são muito grandes.
Neste caso, isso está representando uma população com uma alta taxa de natalidade e uma alta taxa de mortalidade.
Agora, isso tem uma alta taxa de mortalidade porque se você olhar para qualquer passarinho em particular; então, neste rung em particular aqui temos tantas crianças, mas então fora dessas crianças só essas muitas são capazes de alcançar até o próximo passarinho e então só essas muitas conseguem chegar ao próximo passo da escada.
Nessa pirâmide, estamos vendo uma alta taxa de natalidade e uma alta taxa de mortalidade e isso é representado aqui. Então, essa é uma população em que você tem uma alta taxa de natalidade então, o fundo é muito grande, uma alta taxa de mortalidade por isso, ela está tapering muito rápido e isso é representativo da primeira etapa; uma alta taxa de natalidade e uma alta taxa de mortalidade.

(Consulte O Tempo De Deslizamento: 29:03)

No caso da segunda etapa, você tem uma redução nas taxas de mortalidade. Quando você tem mais taxas de morte, então, suponhamos que você tenha uma população em que você tenha uma taxa de mortalidade muito acentuada. Agora, se você reduzir as taxas de mortalidade assim, esses muitos indivíduos que estavam morrendo, então, agora eles vão sobreviver e talvez a sua taxa de mortalidade vá reduzir. Neste caso, a curva se tornará algo assim.
Então, ela agora está se tornando cada vez mais triangular; ainda tem uma base de tamanho muito grande porque você tem um número de crianças que estão nascidas, então, essas são o número de crianças nascidas, mas se você olhar para o número de crianças que estão lá aos 5 anos de idade.
Então, mais cedo nós tínhamos apenas essas muitas crianças, mas agora, porque você é capaz de reduzir a mortalidade infantil e é capaz de reduzir abaixo de 5 a mortalidade infantil, assim, o número de crianças que são capazes de sobreviver que aumentou. Agora, essa curva no lugar de ficar parecido com isso, agora parece mais um triângulo. Então, esta é a segunda pirâmide populacional que observamos.
Aqui você tem uma alta taxa de natalidade, mas taxa de mortalidade que agora está baixando. Agora, quando você tem um estágio no qual sua taxa de natalidade também começa a desacelerar. Neste caso, antes tínhamos essa tacada grande; agora o taper vai começar a reduzir; então essa é a terceira etapa.

(Consulte O Tempo De Deslizamento: 30:39)

Na terceira etapa, o que está acontecendo é que no lugar de ter a curva que estava parecendo isso. Agora, a sociedade está tentando reduzir o número de filhos que ela está tendo.
Provavelmente, no lugar de ter uma ladeira íngreme assim, provavelmente vai ficar assim, porque os indivíduos que já nasceram, mas depois a sociedade só pode reduzir então as crianças que estão nascidas agora ou no futuro.
Neste caso, no lugar de ter essas muitas crianças que estavam nascidas, agora a sociedade está tentando reduzir esse número para tanto; razão pela qual estamos observando que essa curva agora está começando a perder esses dois cantos que estavam lá neste triângulo.
Na quarta etapa, quando se tem uma taxa de natalidade baixa e uma baixa taxa de mortalidade, o que está acontecendo é que, depois de ter essa forma particular da curva. Agora, o que a sociedade está tentando fazer é converte-la em uma forma que se pareça com isso.

(Consulte O Tempo De Deslizamento: 31:52)

Agora você está tentando reduzir suas taxas de natalidade, mas porque a taxa de mortalidade também é baixa. Qualquer indivíduo que nasce vai sobreviver por um período muito longo e, em seguida, lentamente você começará a ver a morte em uma idade muito antiga. Aqui novamente você tem a idade e aqui você tem o número de mulheres e o número de homens, ou o masculino e a população feminina que está lá.
Neste caso o que estamos vendo é que, para até dizer uma idade particular; até a idade de, digamos 45 ou 50, quase não há morte que estamos observando nesta população em particular. Então, quase não há mortes que estamos observando até esta idade em particular, digamos que esta idade é de dizer 45 anos ou dizer 50 anos. E mesmo depois deste ano, esta idade, porque a sociedade está a ter acesso às modernas instalações médicas. Então, mesmo as mortes após esta idade são muito baixas em números e por isso muito lentamente ela se torna para o topo e então esta é a expectativa de vida dessa população em particular ou dessa sociedade em particular. Então, é assim que representamos essa sociedade no caso de uma pirâmide populacional.
Mais adiante, é possível que a sociedade possa tentar reduzir ainda mais as taxas de natalidade e, quando isso acontecer, você verá uma sociedade que vai começar a ficar parecida com essa. Assim, o número de filhos que nasceram ou que nascem nascem, que a sociedade tentaria reduzir isso ainda mais. Então, de ter esses muitos filhos, provavelmente a sociedade vai começar a pensar em ter esses muitos filhos ou também é possível que a sociedade possa achar que agora a população tem um número de indivíduos velhos e, provavelmente, precisamos de número de filhos para nos apoiarmos. Então, também é possível que você tenha uma curva que vai começar a se bular na parte de baixo.
Isso é o que está representado aqui no caso da quinta etapa. Então, esta é a quinta etapa da sociedade que tem uma taxa de natalidade baixa, uma taxa de mortalidade baixa, mas então a taxa de natalidade é um pouco mais do que a taxa de mortalidade. Então, essa foi a primeira crítica a Malthus de que o que ele projetou não é exatamente correto porque também depende do nível de afluência da sociedade, também depende de que estágio de estágio demográfico você está lá na sociedade.
A segunda crítica de Malthus é que o crescimento agrícola não é como ele havia sugerido.
Malthus havia sugerido que o crescimento agrícola vai como uma progressão aritmética de 1 para 2, 2 para 3 e assim por diante.
(Consulte O Tempo De Deslizamento: 35:04)

E isso é possível quando estamos olhando para um curto período de tempo. Por exemplo, aqui estamos vendo que a taxa de crescimento está aumentando em uma progressão aritmética.

(Consulte O Tempo De Deslizamento: 35:17)

Mas então, se observarmos escalas de tempo mais longos, descobrimos que aqui também estamos observando um aumento exponencial dos rendimentos de uma série de culturas. Por isso, aqui estamos a dizer o rendimento de cereais a longo prazo no caso do Reino Unido, no eixo x temos o tempo assim, ele começa a partir de 1270 e vai até 2014 e no eixo y estamos a ver os rendimentos; quantas toneladas por hectare de cereais estão a ser produzidos.
Aqui estamos olhando para a cor vermelha é cevada, o azul é aveia e o verde é trigo. Agora, se você olhar para a produtividade de estágio muito inicial, vemos que a produtividade estava perto de dizer 0,5 toneladas por hectare, mas agora a produtividade é tão alta quanto 8 toneladas por hectare no caso do trigo. Assim, de 0,5 toneladas por hectare para 8 toneladas por hectare, neste período vimos mais ou menos em progressão aritmética, mas depois neste período o que observamos é uma progressão geométrica ou um aumento exponencial.
O que Malthus tinha previsto no caso da produtividade agrícola ou da oferta de agricultura, isso também não é correto. Ele pode mover-se como uma progressão geométrica ou pode até mover-se como um crescimento exponencial ou uma progressão geométrica. Malthus também não considerou que com o tempo podemos até incorporar mais terras ao nosso setor agrícola.
Se olarmos para a quantidade de terra que tem sido utilizada para diferentes setores; consideremos essa representação diagramática da quantidade de terra que está aí em diferentes setores.
Aqui podemos ver que esta área cor-de-rosa é a quantidade de terra que desviamos para as lavouras.
Esta é a área de cropland. Em seguida, a porção vermelha é a quantidade de área que foi desviada para a pecuária.
Podemos ver que, aproximadamente, em torno de dizer entre um adiante e um terço da área total da terra foi desviado para a agricultura. Trata-se de um cropland ou é uma terra que é usada para a pecuária ou uma terra que está sendo usada para pastagem. E as outras terras? O verde está nos mostrando a área que está sob a floresta, a azul está mostrando aproximadamente a quantidade de área que temos sob área construída, a marrom está nos mostrando a quantidade de área que é terra árida e esta área marrom escura está nos mostrando a quantidade de área que é uma terra arbuscada e esta área azul é a quantidade total de água doce.
Se você somar toda a água doce que está lá no mundo, se somar todos os lagos, todos os lagos, todos os rios, seria aproximadamente o tamanho da Mongólia. E se você somar todos os cropland, seria aproximadamente o tamanho da China mais o Japão mais alguns outros países do sudeste asiático. E esta proporção não se manteve constante com o tempo.